Prestação de contas da PMC termina em caos

05/07/2017

5 de julho de 2017. Mais um dia daqueles em Cubatão.

No fim da tarde, uma das chaminés do Polo Industrial de Cubatão emitiu um fumacê nada convencional, que aliado ao vento, formou um “cogumelo atômico” em pleno centro da Cidade.

Logo depois, um evento de prestação de contas da Prefeitura de Cubatão virou o palco de mais um momento surreal.

Servidores públicos, profissionais do Hospital Municipal e Cursan, interromperam o evento logo em seu início, quando o prefeito Ademário Oliveira iniciava sua fala. Após cerca de 20 minutos de paralisação, alguém ainda não identificado surgiu detrás do palco e disparou um gás (provavelmente de pimenta) nos manifestantes e nas autoridades que estavam tentando reiniciar o ato. Resultado: tumulto generalizado e quase uma tragédia com centenas de pessoas intoxicadas.

Pra completar a noite, os ânimos exaltados de todos quase culminaram com uma briga campal em plena Praça dos Emancipadores.

Cubatão vive um momento dramático. Milhares de desempregados, uma máquina administrativa quase ingovernável, violência e intolerância. Caos, com C maiúsculo.

Que esse inferno astral coletivo passe o mais rápido possível.


Anúncios

Forte odor de gás atinge Cubatão

24/09/2009

URGENTE

Os cubatenses tiveram uma desagradável surpresa na noite desta quarta-feira. Um forte odor de gás impregnou o ar da região central da Cidade.

Quem estava em casa foi obrigado a se proteger ligando os ventiladores ou exaustores. Segundo informações obtidas por este blog, muitas pessoas procuraram o Pronto Socorro Central queixando-se de dores de cabeça e problemas respiratórios.

Um levantamento preliminar indica que foram afetados com o forte cheiro os bairros Fabril, Centro, Vila Couto, Vila Paulista, Jardim 31 de Março e Vila Nova, mas já há registros de que o odor chegou a Santos e São Vicente.
As informações são desencontradas até o momento, mas tudo indica que o odor provém da Refinaria Presidente Bernardes.

O site da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), empresa responsável por aferir a qualidade do ar e fazer a fiscalização junto ao Polo Industrial, está com problemas na página que informa a atual situação.

Infelizmente, este é mais um caso que ilustra que Cubatão paga um preço muito alto por sediar o maior polo petroquímico da América Latina é muito alto. Uma cidade localizada no sopé de uma serra, que naturalmente bloqueia a evasão dos poluentes, não poderia de forma alguma sediar tais indústrias. Mas a falta de visão futura das autoridades e o compromisso zero com o meio ambiente por parte das companhias acabou nisso: uma noite em que relembramos o triste título de “Vale da Morte”.

Atrelado a isso, aparentemente a rigidez da fiscalização diminuiu. Diariamente ouvimos relatos de novos focos de poluição em nossos rios e mal conseguimos ver a Serra do Mar por causa da fumaça das chaminés industriais. Até quando essa triste sina cubatense irá perdurar?

Enquanto nada é feito, resta-nos proteger nossos narizes e torcer para que a chuva leve da madrugada ajude a dispersar os poluentes.


%d blogueiros gostam disto: