Desarmando a bomba

07/05/2017

Costuma-se definir de surreal uma situação que foge à compreensão da realidade. Mas nos últimos meses, a situação de Cubatão adquiriu tons de dadaísmo, movimento artístico dos anos 1910 baseado na ode à confusão.

Vivemos dias bagunçados, frustrantes, sem horizonte. A cada hora, novas notícias ruins, novos anúncios negativos, novos conflitos ásperos e muitas vezes desnecessários.

A cidade está basicamente parada. Cubatão está em crise, não é mais a “galinha dos ovos de ouro” de outrora.

E por que chegamos a esse ponto? Vivemos o resultado da insistente teimosia de sucessivos governos de que o Polo Industrial nos sustentaria eternamente. Pra que pensar em novas formas de pensar a cidade se sempre teríamos pelo menos um “bilhãozinho” em caixa, no pior dos cenários? Pra que investir em turismo, formação profissional qualificada de nossos jovens?

Pois bem, o preço por essa filosofia imediatista tem saído bem caro. E hoje a cidade está em uma encruzilhada: ou recolhe seus cacarecos e aprende a andar com as próprias pernas, ou definhará, presa a um passado que não tem volta.

Exatamente por isso, me causa angústia ver a Cubatão perdida de 2017. De qualquer lado que se observe, todos estão com pedras nas mãos. O pavio está aceso. E a bomba está prestes a estourar.

É hora de uma “DR” coletiva. Só o cubatense pode salvar Cubatão. Armas abaixadas, coração leve, humildade para ouvir sugestões e voltar atrás.

É hora de uma nova Agenda 21, no papel e nas atitudes. Não vamos perder o bonde da História de novo. Desperte, Cubatão.

Anúncios

A disputa pelos muros da cidade

26/01/2017

Quem anda pela região central de Cubatão pode até não ter notado, mas uma guerra informal parece estar em andamento. Aparentemente, diversos grupos de pichadores estão “marcando território” em muros pela cidade. Com motivos variados, que vão de frases de efeito a meras assinaturas, as marcações estão por toda parte.

O fenômeno chama a atenção sobretudo neste momento em que o prefeito de São Paulo, João Doria, lançou uma ofensiva aos pichadores e suas “obras”. Como efeito colateral, os famosos grafites da metrópole também estão sendo atingidos pelo programa, o que tem gerado grande polêmica.

Doria é do PSDB, mesmo partido do prefeito cubatense, Ademário Oliveira. Enquanto medida semelhante não é lançada por aqui, acompanhe abaixo algumas das pichações pelos muros cubatenses registradas nos últimos dias:

FRASES

A categoria que mais chama a atenção é a de pichações com mensagens. Algumas poderiam fazer parte de um livro de autoajuda. Outras servem para marcar território ou posição. A última imagem desse item foi registrada pelo colega jornalista Victor de Andrade, do blog O Curioso do Futebol.

img_4442 img_4475 img_4478 img_4482 img_4480

img_4472 img_4479 foto-victor-de-andrade

ASSINATURAS

Como dito anteriormente, parece haver grupos diversos de pichadores. Cada um é marcado por uma “assinatura”. Elas podem ser vistas isoladamente em alguns muros. Uma parede próxima ao Hospital Municipal registra uma espécie de “galeria da fama”, com várias identificações.

img_4465 img_4474

POSICIONAMENTO POLÍTICO

Há uma certa fascinação de um grupo pelo ex-presidente Getúlio Vargas, sobretudo acerca de seu conturbado mandato no Estado Novo. Além da pichação abaixo, em plena Rua Manoel Jorge (em frente ao Paço Municipal), há escritos no busto dedicado ao mandatário na praça que leva seu nome, na Avenida Joaquim Miguel Couto.
img_4469img_4444

Como último destaque, um “combo” de pichação política com posicionamento pró-descriminalização das drogas. Aparentemente, cada item da obra é de um grupo distinto. Esse elemento pode ser visto em vários pontos da cidade.
img_4471

Viu outras pichações curiosas por aí? Envie nos comentários! E confira pitacos, fotos, informações e muito mais nas minhas redes sociais 🙂
Twitter: @allannobrega
Facebook: /allannobrega
Instagram: @allannobrega
Snapchat: allanknobrega


%d blogueiros gostam disto: