Posts

Ensino gratuito?

 

Tenho uma conhecida que está estudando na nova unidade do Centro Paula Souza em Cubatão, uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Cubatão.

O local, inaugurado no começo do ano passado, era para ser uma escola pública, portanto, acessível a quem não tem como pagar por um ensino particular. Mas o que os pais dos alunos dessa unidade estão gastando poderia facilmente bancar a mensalidade de um colégio particular.

Vamos às contas. O uniforme – uma simples camisa verde com o emblema da escola – custa a bagatela de R$ 25,00 e não há como escapar dessa despesa, já que o traje é obrigatório. A escola cobra R$ 50,00 pelo “kit ensino” – carteirinha e uniforme – sim, até a carteira que libera o acesso do aluno é cobrada.

Além disso, há as taxas da Associação de Pais e Mestres, outra tacada no começo do ano. Além disso, os pais tem que se virar para comprar o material dos alunos. Quando eu estudei em escola pública, a Prefeitura dava pelo menos dois cadernos universitários, canetas, lápis e borracha.

Para completar, a escola indicou que os pais matriculassem seus filhos em cursos de inglês, pois a matéria ensinada pela escola está “muito acima dos conhecimentos dos alunos”, segundo me foi dito por essa fonte. Ou seja, no mínimo mais R$ 60,00 por mês, fora o material didático.

Nessa brincadeira, já foram gastos R$ 110,00, fora a alimentação (quem faz os dois cursos tem que almoçar fora, não tem jeito) e o transporte. Haja dinheiro! E isso para uma escola pública.

Sugeri a alguns pais que montassem uma comissão para marcar uma audiência com o secretário de Educação, para relatar a situação. Há muita gente ali que ralou muito para conseguir entrar nesta escola, mas que corre o risco de não terminar os estudos, por causa dos custos.

Já no que tange à Prefeitura, é importante analisar esta questão com uma certa urgência. A última administração praticamente deixou o Centro Paula Souza com a batata quente na mão, não cumprindo as suas obrigações firmadas em contrato.

Espero que a atual equipe reverta essa situação, pois esta escola pública foi uma árdua conquista da Cidade. Se nada for feito, mais uma vez veremos uma ótima escola pública ficar somente acessível aos mais abastados da Baixada Santista, assim como aconteceu com a antiga Escola Técnica Federal.