Retratos da Cidade

Nos últimos dois anos, praticamente vivi mais em outras cidades que no local onde resido, Cubatão. Nesse período, como jornalista, pude acompanhar a guinada que a Baixada Santista apresentou em diversos aspectos.

Santos é o melhor exemplo. Vias bem cuidadas, capricho nas obras públicas e respeito pelo cidadão. Claro que existem problemas, mas eles são mínimos perto do que tenho reparado na minha cidade.

Agora que voltei a passar a maior parte do meu tempo por aqui, tenho que confessar que estou impressionado com o estado de abandono no qual está Cubatão.

Cansado de apenas reclamar, a partir de hoje vou usar meu blog para mostrar o desleixo e o estado lamentável de vias e locais públicos cubatenses.

Já aviso que encaminharei tudo o que aqui publicar para os setores “competentes” da Administração e para meus colegas de imprensa.  Sei que não vou causar uma revolução, mas pelo menos não me calarei e esperarei que nossos governantes façam algo por vontade própria.

Ah, um aviso: não há conotação política. Quem me conhece sabe que sou contestador por natureza, e meus textos algumas vezes refletem isso (confira alguns deles na seção matérias de meu portfólio).

Torço muito para que a nova prefeita não fique apenas no discurso da mudança e ponha fim à paralisia cubatense frente às outras cidades da Região. Este post é a minha contribuição para isso.

__________________________________________________________

Praça Getúlio Vargas – centro

121208_retratosdacidade-001-okO busto do ditad…, ops, presidente que dá seu nome à praça teve sua cabeça arrancada no ano passado. Na época, o secretário de Ação e Governo, Gilson Miguel, garantiu que a estátua estava sendo reformada e logo estaria de volta a seu local. Hoje, não há vestígio do busto ou de qualquer cuidado com o local.

O mato alto nos faz esquecer que ali havia um jardim muito bem cuidado quando da inauguração no novo paisagismo do local, em 2005. À época, empresas do Pólo Industrial exibiam com orgulho seus logotipos em estacas de madeira postas nos canteiros. Afinal, a responsabilidade pela manutenção do logradouro, que fica em frente à sede do Ciesp, era delas.

121208_retratosdacidade-005-okHoje, as placas não estão mais lá, nem os jardineiros que semanalmente aparavam as plantas e cuidavam da praça. Isso sem falar na falta de iluminação à noite, um perigo para os alunos do Instituto Libertas (mantido pelo PR, partido do Prefeito) que esperam nas redondezas pelo início das aulas.

Do outro lado da rua, a situação é pior. Uma placa da Prefeitura divulga o início das obras de reparo no local, que há alguns anos era bastante freqüentado por crianças, muitas estudantes da Escola de Educação Especial que ali está instalada.

121208_retratosdacidade-006-okAntes de falar do lamaçal que a praça virou, vale destacar algumas informações da placa. É dito ali que as obras começaram em setembro e tem a previsão de conclusão de nove meses. Pois bem, quase 90 dias já se passaram e apenas o calçamento de cerca de um terço do local foi concluído. Aparentemente, a obra já terminou, pois nenhum trabalho é feito na região há mais de uma semana.

Outro ponto que chama a atenção é o valor da obra. Mais de R$ 100 mil a serem gastos em uma área de pouco mais de 50 m². O que será feito no local é um mistério, que a placa não ajuda a esclarecer.

121208_retratosdacidade-009-ok

Enquanto isso, quem passa pelo local deve estar precavido. Botas e repelente são indispensáveis, pois há lama e poças de água em toda a extensão da praça, além dos mosquitos que infestam a região.

 

Paço Municipal – centro

O problema a seguir parece irrelevante para pessoas jovens e boas de saúde. Mas os idosos e portadores de necessidades especiais sabem o tamanho do problema.

121208_retratosdacidade-018-okO calçamento do Paço Municipal, onde está a Prefeitura e a Câmara, parece um queijo suíço. Muitos ladrilhos estão soltos, o que representa um grande perigo para quem tem dificuldade em caminhar. E olha que o local deveria ser o mais acessível da Cidade!

Aparentemente, tentou-se consertar o problema, mas a emenda ficou pior que o soneto. A areia colocada nos buracos e a posterior colocação de ladrilhos formaram pequenos “montes” no chão e deram o local uma aparência de algo remendado.

Isso sem falar na falta de um elevador para a população na sede do Poder Executivo e no que foi gasto para o high tech sistema que regula a entrada de pessoas na sede da Câmara Municipal.

Isso é apenas o começo. Logo mais, colocarei aqui a situação da Praça Portugal, um dos principais pontos do Centro da Cidade, e outros flagras, como uma ambulância despedaçada estacionada há meses em uma delegacia cubatense.

Anúncios

3 Responses to Retratos da Cidade

  1. FRANZ disse:

    Boa iniciativa mas tente sempre ficar na posição de relatar o que vê para não correr o risco de prejudicar ou difamar alguém e depois não conseguir provar. Vou colocar o link do seu blog no meu para servir de exemplo para as outras cidades também.

  2. Renata Frauche disse:

    Allan, parabéns pela iniciativa. Assumir sua cidadania e exercê-la é um exercício penoso, mas que mexe e pode inquietar também outras pessoas que estão ao seu redor.
    Ser jornalista é antes de mais nada, não perder a capacidade de se indignar diante dos problemas sociais e da “tolerância ou preguiça” em excesso que às vezes atinge parte da população.
    Conte comigo nessa sua proposta. Saudações, Renata Frauche

  3. […] fim, lembram-se da Praça Getúlio Vargas, cujo estado deplorável mostrei no ano passado? A atual Administração deu um grande passo, assumiu o trabalho que era para ser […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: